DIREITOS E DEVERES

Maio, o difícil Maio

O único dia fácil foi ontem (filosofia dos SEAL da Marinha dos Estados Unidos).

Parece que essa filosofia se encaixa bem para a vida do brasileiro. Todo dia uma novidade difícil de engolir e empurrada goela abaixo em nossas vidas, no modo manda quem pode, obedece quem tem juízo. Quando não somos atacados por bizarrices, somos atacados no bolso. Só no mês de maio quatro situações que mostram o naufrágio que estamos.

? Notícia um: Sob o slogan aprenda com quem faz dar certo, cantora Anitta é anunciada como professora universitária de empreendedorismo na Estácio de Sá em São Paulo. Ela até poderia ensinar, mas em todas as manifestações públicas da artista ela dá um show a parte de quem não sabe absolutamente nada além de rebolar. Isso realmente não deveria nos surpreender já que universidades viraram palco de ideologias, palanque político e maconha (muita maconha). Bem, eu nunca parei de ler livros e nunca consegui entrar num mestrado, porque não obtive a nota 7, eu disse 7 para o ingresso na Federal Catarinense. Talvez eu deva aprender coma Anitta. Talvez meu entendimento sócio-político não e encaixe nas universidades.

? Notícia dois: Proposta de emenda à Constituição (PEC) recria o quinquênio para magistrados e promotores de justiça da União. O Adicional por Tempo de Serviço é um acréscimo percentual de 5%, calculado sobre o valor dos vencimentos que o servidor público tem direito a receber na folha de pagamento, de modo incorporado, a cada cinco anos em efetivo exercício automaticamente.

  • Mas, é preciso considerar que no âmbito estadual (em SC) o quinquênio existe para todos os servidores públicos. Então, como poderemos rechaçar que na esfera federal isso seja uma afronta, se nós, catarinenses já pagamos por isso aqui?
  • A título de conhecimento, entre ativos e inativos, só o Supremo Tribunal Federal (STF) tem um gasto com remuneração em 500 milhões por ano (isso segundo o relatório de 2019), ou seja, em cinco anos acresce-se a esse valor 25 milhões numa progressão sem fim. Então, só para o STF, cada cidadão brasileiro pagará R$ 12,00 por mês. Falta incluir o STJ, o MPF, os TRFs.
  • Não há qualquer problema em remunerar bem o funcionário público ou no âmbito privado. O grande problema do funcionalismo público é a estabilidade que propicia funcionários fantasmas, funcionários desidiosos que, por força de leis inúteis e brandas, não podem ser demitidos. E não acreditem em Processos administrativos disciplinares (PAD). Esses PADs são uma farsa.
  • Notícia três: Lula e Janja vão se casar. Não precisamos argumentar muito sobre a maior fraude humana brasileira. Ele que, há poucos dias, disse que a classe média ostenta fará um casamento com nada mais nada menos que muito ostentação. A frase de Cláudio Humberto (jornalista Band), resume tudo: "pensando bem, casamento com festa de arromba em plena quarta-feira é para quem não trabalha, mesmo".
  • Notícia quatro: Não esqueça seu imposto de renda. Você trabalhou esses cinco primeiros meses do ano para pagar todos os privilegiados acima citados.

Privilégio se alimenta de direito. E desde 1988 criamos e criamos mais e mais direitos, nada de deveres. Indiscutivelmente estamos colhendo o resultado de um relaxamento da disciplina. Irresponsabilidades travestidas de modernismos e liberdade (que na verdade é libertinagem) estão arrastando ideologias que estão levando o ser humano à falência moral. Não podemos nos distrair. É preciso sair dos resvaladouros e voltar com passos firmes para a dignificação humana. Sejamos firmes no propósito, na honradez, na disciplina e na família.







EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro