EDITORIAL 583

Fiscais da Fé

O conforto da palavra de um homem de Deus pode mudar totalmente a vida de uma pessoa

Em missa na Capela da Casa Santa Marta, no Vaticano, em 25 de maio de 2013, portanto há 9 anos, o papa Francisco defendeu o batismo de filhos de mães solteiras.

"Pensai numa mãe solteira que vai à Igreja, à paróquia e diz ao secretário: Quero batizar o meu menino. E quem a acolhe diz-lhe: Não tu não podes porque não estás casada. Atentemos que esta mãe que teve a coragem de continuar com uma gravidez o que é que encontra? Uma porta fechada. Isto não é zelo! Afasta as pessoas do Senhor! Não abre as portas! E assim quando nós seguimos este caminho e esta atitude, não estamos fazendo o bem às pessoas, ao Povo de Deus. Jesus instituiu 7 sacramentos e nós com esta atitude instituímos o oitavo: o sacramento da alfândega pastoral. (...) Quem se aproxima da Igreja deve encontrar portas abertas e não fiscais da fé!"

O Papa ainda defende a abertura do templo para os divorciados e que sejam batizados os filhos das mães que possuam união com estes.

O Papa deixa claro que a caridade e a justiça devem estar mais presentes na pregação católica do que outras virtudes; condena o machismo e a violência doméstica; diz que os confessionários não devem ser "câmaras de tortura" e critica a ideia de uma "doutrina monolítica" que impeça que se veja a "riqueza inesgotável do Evangelho".

Em um tempo em que tantos católicos se sentem menosprezados ou mesmo desprezados pelas suas opiniões mais críticas, o Papa vem dizer que todos devem ser escutados. E não se coibiu de recomendar aos bispos, por exemplo, que ouçam toda a gente e não apenas os que estão "sempre prontos" a lisonjeá-los.

Perguntamos: por que muitos ainda insistem nesse absurdo?

Será que esses estão acima do Chefe Supremo da Igreja?

Trazemos este assunto mais uma vez à tona, pois há muito criticamos atitude discriminatória próxima de nós. Se não bastasse a dor da perda, pessoas foram deixadas de lado por buscarem um novo relacionamento. Toda uma vida dedicada às ações sociais cristãs não foram suficientes para mantê-las a frente dos projetos da Igreja.

Mulher sofrida, com 5 filhos, abandonada pelo marido e sem saber de seu paradeiro, ao se unir com outro teve negado o direito ao batismo de seu sexto bebê.

Mudanças aconteceram e não foram poucas, o que nos deixa felizes, mas muito ainda temos de buscar e tudo isso passa por termos novamente servos de Deus que queiram dar atenção aos pobres e aos enfermos. O conforto da palavra de um homem de Deus pode mudar totalmente a vida de uma pessoa, família e até de uma comunidade inteira.







EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro