CARNAVAL 2022

FCDL/SC avalia impacto do ponto facultativo no comércio catarinense

'O Carnaval é responsável por movimentar boa parte da economia em setores como turismo e comércio'

Foto: Fernanda Kleinebing | Agência Adjori SC de Jornalismo

Pelo terceiro ano consecutivo, não serão realizados grandes eventos e festividades no Carnaval de 2022 devido à pandemia. Como o período entre a segunda-feira de Carnaval e a Quarta-feira de Cinzas é considerado ponto facultativo, as viagens e passeios que impactariam diversos setores econômicos, não acontecerão na intensidade esperada.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) aponta que o Carnaval é uma data muito esperada por diversos setores econômicos e pela população.

"No que se refere ao comércio varejista, o cancelamento do [feriado] Carnaval provoca impacto direto sobre os setores do comércio e de serviços. Com a pandemia ainda presente, é difícil calcular o tamanho do impacto econômico que será gerado. O empresário precisará usar muito sua criatividade e se reinventar para mudar o atual modelo e, neste sentido, o povo catarinense é muito empreendedor", destaca o assessor institucional da FCDL/SC, João Carlos Dela Roca.

Ele ressalta que o Carnaval é responsável por movimentar boa parte da economia em setores como turismo e comércio, o que influencia de forma ativa todo cenário econômico do Brasil.

"Com o decreto do ponto facultativo para o Carnaval de 2022 vivemos situações distintas. De um lado os servidores públicos gozando o ponto facultativo, ansiosos para viajar, seja a lazer, seja para visitar parentes. Por outro lado, temos os empresários lojistas ansiosos para recuperar o prejuízo causado por esses tempos difíceis de pandemia, avalia.

Dela Roca acredita que o impacto do cancelamento do Carnaval em algumas cidades catarinenses resultará em enormes prejuízos ao setor. "É preciso esclarecer que o período não é feriado, não é previsto em nenhuma lei federal, estadual ou municipal. O que acontece é que, por tradição, os governos tendem a decretar o ponto facultativo para as administrações públicas e as Convenções Coletivas de Trabalho estabelecem o descanso remunerado para os empregados da iniciativa privada, ou fazem acordos de compensação de horas não trabalhadas nesse período. Este ano, em função da pandemia, vivemos um momento atípico, com as suspensões das comemorações para evitar as aglomerações", completa.

Núbia Garcia | Agência Adjori SC de Jornalismo






EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro