ECONOMIA

BRDE contabiliza mais de R$ 2 milhões em operações do SC Mais Renda Empresarial

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) iniciou a liberação das primeiras operações de crédito vinculadas ao Programa SC Mais Renda Empresarial. Em menos de uma semana do início dos atendimentos, o valor em financiamento para micro e pequenos empresários catarinenses já chega a R$ 2,1 milhões. "De forma prática, já estamos atendendo os primeiros empreendedores, respondendo a iniciativa lançada pelo Governo do Estado de auxiliar as empresas com oferta de crédito, prazo e subsídio integral", destaca o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do banco, Marcelo Haendchen Dutra.

A empresária Luciana Heidt é proprietária de uma floricultura em Cunha Porã, no Oeste catarinense. Ela sentiu os efeitos da crise e agora com os recursos disponibilizados pelo BRDE, através do SC Mais Renda Empresarial, vai conseguir investir em infraestrutura, novos produtos e ainda manter o emprego dos 32 funcionários. "Em 29 anos de empresa nunca tínhamos tido acesso a um recurso como este com juro zero e facilidade de pagamento. O programa chega em boa hora dando perspectiva de crescimento do nosso negócio. Agradeço por acreditarem no empreendedorismo catarinense", comemora. O financiamento de R$ 100 mil foi feito através da Sicoob de Cunha Porã, uma das instituições credenciadas pelo BRDE.

Com o objetivo de auxiliar os empreendedores na busca dos recursos de forma mais ágil, o banco firmou parceria com as cooperativas de crédito em todas as regiões catarinenses. "No site do banco há uma lista das instituições credenciadas para que o empresário tenha o atendimento mais próximo do seu negócio. As garantias serão negociadas diretamente com a instituição onde o financiamento será solicitado", explica o diretor financeiro, Vladimir Arthur Fey.

Como funciona o SC Mais Renda Empresarial?

No BRDE, além dos recursos próprios, serão utilizadas linhas do BNDES e do Fungetur - o Fundo Geral do Turismo do Ministério do Turismo (Mtur) com crédito para empresas ligadas ao setor. "Com essa medida, mais empregos serão mantidos e a economia aquecida. São ações como essa que fazem Santa Catarina ter o menor índice de desemprego do Brasil", reforça Fey.A linha de crédito poderá ser solicitada por micro e pequenas empresas com sede em Santa Catarina e faturamento bruto de até R$ 4,8 milhões por ano, que tenham a atividade principal ou secundária nos setores de turismo, bares, restaurantes, eventos, educação e transportes. É possível solicitar crédito de R$ 10 mil a R$ 100 mil, de acordo com análise realizada pela instituição de crédito. Além dos critérios inerentes a cada conveniado, deverão ser considerados os 24 meses de faturamento anteriores a 31 de dezembro de 2020 ou desde o início das atividades, quando estas forem posteriores a 1º de janeiro de 2019.

Os empreendedores poderão aderir aos financiamentos com 12 meses de carência e 36 meses para amortização. Os juros serão totalmente subsidiados pelo Governo do Estado para aqueles que permanecerem adimplentes. Além do pagamento das parcelas em dia para ter direito aos juros subsidiados, os micros e pequenos empreendedores beneficiados devem manter o quadro de funcionários compatível pelo período da carência concedida.

Mais informações sobre o acesso ao SC Mais Renda Empresarial e outras linhas de crédito estão disponíveis no site brde.com.br.






EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro