logo RCN
ECONOMIA

Aliança Láctea: estados do Sul juntam esforços para aumentar competitividade internacional

  • Ricardo Wolffenbuttel / Secom -

Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina unem esforços para aumentar a exportação e a competitividade internacional do leite. Lideranças do setor produtivo dos três estados do Sul reuniram-se na manhã desta sexta-feira, 20, no encontro da Aliança Láctea Sul Brasileira. A reunião ocorreu de forma híbrida, virtual e presencial, na sede da Farsul, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, Rio Grande do Sul.

"Aliança Láctea é um importante fórum pra que a gente possa discutir os desafios da cadeia do leite. Representando o Governador Carlos Moisés e ao lado dos presidentes da Epagri, Giovani Canola, e da Cidasc, Júnior Kunz, viemos construir soluções para os desafios desse encadeamento produtivo, principalmente relacionados a sanidade, a melhoria da produtividade e da renda relacionada aos custos de produção", destaca o Secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Miotto.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Rio Grande do Sul, Domingos Velho Lopes, ressaltou a importância do fortalecimento das posições das três unidades federativas. "A união do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná em prol da Aliança Láctea, buscando a intersecção de propostas, a correção de assimetrias, converge para o fortalecimento da cadeia do leite".

Representando o Paraná, o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, elogiou a cadeia produtiva, que "apesar das agruras, do sufoco e do clima", continua produzindo. "Nós precisamos um plano de safra ousado e conseguir a redução de custos. A concessão de ferrovias que lançamos vai ser alternativa para esta redução", finaliza.

Para o coordenador geral da Aliança, Airton Spies, o objetivo do grupo pode ser resumido em "colocar leite no navio, ou seja, aumentar a exportação e a competitividade internacional". Conforme o IBGE, os três estados do Sul produziram 11,6 bilhões de litros de leite em 2019, o que corresponde a 33,4% do total produzido no país.

Novo índice

Durante o encontro, a assessoria econômica da Farsul apresentou o "Índice de Insumos para Produção de Leite Cru (IILC)". Por meio de uma nova fórmula de cálculo, o indicador passa a levantar os preços dos insumos que afetam os custos da produção leiteira. Entre os insumos incluídos no cálculo estão milho e soja, silagem, adubação, suplementos minerais, energia elétrica e combustíveis.

O índice deve estar disponível ainda no primeiro semestre deste ano. A partir do segundo semestre, será apresentado um relatório mensal.

Produção de leite em Santa Catarina

Santa Catarina produz mais de três bilhões de litros de leite por ano e é o quarto maior produtor brasileiro. Com mais de 70 mil famílias envolvidas na atividade, o estado conta com 130 empresas que beneficiam o produto. Um dos grandes diferenciais do agronegócio catarinense é o cuidado extremo com a saúde animal.

Santa Catarina faz parte dos estados reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação e, desde 2020 é possui a menor prevalência de brucelose animal no país.

Aliança Láctea Sul Brasileira

Formada por Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a Aliança Láctea foi criada para discutir os desafios e oportunidades comuns entre o setor produtivo do leite nos três estados. O fórum atua em cinco eixos de trabalho: assistência técnica e geração de tecnologia para aumentar a produção e a produtividade; sanidade animal; qualidade do leite; organização do setor e redução de assimetrias tributárias.


Preço da Gasolina, Álcool, Eletricidade e Comunicações caem 8% Anterior

Preço da Gasolina, Álcool, Eletricidade e Comunicações caem 8%

IPCA de abril tem maior variação desde 1996 Próximo

IPCA de abril tem maior variação desde 1996

Deixe seu comentário