COLUNA FATTI E RACCONTI

História e Religiosidade do Bairro Vila Nova

Aldo Percy Tomio estará a frente da coluna para contar fatos e histórias da cultura ascurrense

A colonização italiana em Ascurra teve início em 1876. Os imigrantes eram na sua maioria do norte da Itália. A predominância era da região do Vêneto mas também contou com Trentinos e Lombardos em pequena escala. As primeiras famílias estabeleceram-se no bairro Ribeirão São Paulo.

A partir de 1878 teve início a ocupação dos lotes no centro da cidade. O bairro Vila Nova pertencia ao centro naquele período da história. Com a construção da principal rua do bairro, chamada "Val Nova" ou Vila Nova no português, a localidade assumiu status de bairro e teve o mesmo nome da rua.

O Santo padroeiro da Vila Nova: O primeiro "Capitel di Santo Antonio" foi erguido por Santo Schenalli natural da cidade de Trichiana (Belluno-Itália). Santo estabeleceu-se inicialmente no bairro Guaricanas em 1876 e após dois anos adquiriu lote urbano no centro da cidade. Foi ele o primeiro morador da localidade. Era devoto de Santo Antônio padroeiro de sua cidade de origem. A primeira imagem do santo havia sido trazida da Itália por ele mesmo. Apoiado também pela família Zonta, natural de Pádua, onde viveu Santo Antônio, este santo então foi escolhido como o padroeiro da Vila Nova. Santo Schenalli então ergueu o primeiro Capitel em 1878. O segundo capitel foi construído pela comunidade em 1955 e o terceiro em 1966. Este último demolido em 19.03.2016 para dar início à contração da igreja atual.

A primeira missa no bairro Vila Nova foi celebrada em 1955 pelo P. Aleixo Costa ainda no segundo Capitel. No ano de 1954 ou 55 (ano incerto) um vândalo arrombou o capitel e destruiu a estátua de Santo Antonio. Uma nova estátua foi doada por Ernesto Poffo. A mesma foi trazida de São Paulo pela família Dalfovo e posta no capitel por Arlindo Ferrari. Nesta ocasião houve queima de fogos.

No ano de 2005 a comunidade comemorava os cinquenta anos dos festejos de Santo Antônio. Dom Antonio Possamai, bispo emérito de Ji-Paraná, residente em Porto Velho, presidiu as celebrações. Momento de grande emoção, pois Dom Antônio era filho querido da comunidade. Na ocasião todos os membros de diretorias anteriores foram homenageados com quadro alusivo a data.

Em 2012, a paróquia recebeu a visita dos missionários redentoristas para as missões nas comunidades. A comunidade da Vila Nova também recebeu os religiosos e várias atividades foram feitas na ocasião.

Os Festejos de Santo Antonio em breve completarão setenta anos. Trabalho de uma comunidade unida e orgulhosa do santo mais venerado no mundo.

Fontes: Colonização Italiana de Ascurra (José Escalabrino Finardi)

e entrevista a membros da comunidade.







EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro