Rosama.png
VIVER E CONVIVER

Adolescentes e Pais

O que os pais e educadores podem fazer para ajudar na fase da adolescência

A fase da adolescência começa por volta dos 10 anos de idade. Essa fase passa por sucessivas mudanças e, pode ser acelerada por causa de muitas interferências. Exemplificando, informações da própria família, tecnologia, mídia, colegas com informações certas ou equivocadas, contextos cultural, escolar e sociedade, onde estão convivendo.

O período da adolescência termina quando o adolescente apresenta um comportamento cuidadoso e responsável, mesmo quando estão próximos ou longe dos pais. Pode ser que esse desafio atrasa e se prolonga, aproximadamente até uns 30 anos ou mais.

O que os pais e educadores podem fazer para ajudar nessa fase que é desafio para o adolescente pelas mudanças corporais, hormonais e, para os pais. Pois para certos afazeres são crianças e para outros já são considerados competentes. Nessa fase pode-se ajudar o adolescente para aproveitar a vida em família, com amigos e sociedade, mantendo a saúde mental. Nisso, os pais e educadores podem contar com um futuro dos filhos e filhas como adultos posicionados para a vida e boas escolhas. Compartilhando sentimentos e apoiando-se mutuamente.

Aqui algumas dicas pois o assunto é bem complexo.

Comunicando-se positivamente - Regras de conversação: As pessoas (especialmente os adolescentes). Não gostam de avaliação. Use "Isso" em vez de "Você". Use Afirmações Reflexivas e Solidárias. Ajude os adolescentes a explorar as alternativas (ele está extravasando as emoções ou está procurando algum conselho?) Evite sugerir Soluções Cedo Demais. (A maioria não reage cordialmente as sugestões rápidas).

Reveja alguns procedimentos para ser um bom ouvinte:

1. Mantenha o contato visual.

2. Utilize uma boa postura.

3. Evite críticas e faça perguntas.

4. Evite afirmações de soluções e utilize afirmações que o adolescente possa refletir.

5. Compartilhe suas experiências.

A atitude de os pais e educadores proporcionar um ambiente onde o adolescente se sinta acolhido para expor seus sentimentos e projetos sem críticas destrutivas.

. Perguntas para fazerem enquanto pais: Quando era adolescente, como se sentia quando conversava com os pais? Eram competitivos ou se sentia acolhido por um conselheiro que estava ao lado?

. Refletir se a conversa com o adolescente gira em torno de focalizar só os pontos negativos e banalizar os pontos positivos. Se isso acontece o adolescente perde a vontade de arriscar e se esforçar para conversar com os pais.

Também é muito importante pontuar o cuidado de si ao cuidar dos filhos. Quando os pais cuidam das próprias necessidades, ajudam o adolescente e a si mesmos.

Nesse pequeno texto foi exposto algumas sugestões. Pesquisas e técnicas sobre essa fase da vida estão aumentando e existem muitas informações, pois merece a atenção dos pais e educadores.

Bibliografia: Mclntire, Roger W. Adolescentes e Pais: Orientação educacional para uma relação de confiança e respeito. 2005. Editora, M. Books do Brasil Editora Ltda- São Paulo - SP.







EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro