OPINIÃO

O mesmo discurso

Mas depois do pleito, quando estes assumem o poder, descobrimos que os projetos eram jogos perdedores

Os candidatos se revezam no horário político divulgando suas propostas, que quase "e sempre" são as mesmas de pleitos anteriores, mesmo que o candidato tenha sido um dos mandatários dos destinos das políticas públicas nos últimos 4, 8 ou 12 anos. Os debates são verdadeiros jogos de cartas onde o blefe faz parte integrante e obrigatório. Apresentam suas cartas onde os seus projetos em segurança, educação e na saúde são apresentados como jogos perfeitos e vencedores.

Mas depois do pleito, quando estes assumem o poder, descobrimos que os projetos eram jogos perdedores, não passavam de um blefe, um simples par de dois: poder e corrupção.

O que os candidatos deveriam e precisam encarar é uma das poucas certezas que temos: a desigualdade de renda no Brasil que é a maior imoralidade. Nenhum projeto de país dará certo sem desconcentrar a prosperidade das mãos da meia dúzia dos bilionários de sempre. Engana-se quem pensa que estes são empresários do comércio e de "chão de fábrica", são em sua maioria esmagadora políticos e banqueiros protegidos pelas políticas econômicas por eles mesmos desenvolvidas.

Aflige não ouvir essa discussão entre os candidatos à Presidência, aos Governos estaduais, no debate eleitoral. Nos aflige mais ainda é o discurso do desarmamento, onde privilegiados dizem que armas nas mãos do cidadão não resolvem o problema. Talvez não resolva mesmo, mas com certeza ameniza, pois um bandidinho de meia pataca pensará duas vezes antes de invadir propriedade alheia. Aflige e entristece passar e ver as ruas cheias de mendigos, pedintes, "craqueiros" em nossa Capital (Florianópolis) e nada poder fazer, pois em nome do politicamente correto e do direito de ir e vir os operadores da justiça buscam dificultar a mudança de cenário.

Se não temos políticas públicas para enfrentar esse problema como enfrentaremos os males estruturais de nosso país, muito mais graves e complexos?

Se você ler o texto é pensar que é discurso de esquerda, perdoe, não o é. Temos a certeza que só a livre iniciativa e o emprego pleno é que diminuirá para sempre a desigualdade social.

Direitos e Deveres iguais para todos.




EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro