GERAL

Marcou a História

Valdir e sua esposa Eugênia

ALDO VALDIR PINTARELLI   

Nasceu em 13 de novembro de 1933 | Morreu em 09 de novembro de 2018

 Falar da história de Ascurra é também falar do "Valdir". Filho de Joaquim Pintarelli e Liberata Venturi Pintarelli, sempre viveu em Ascurra. Um grande contador de histórias, causos, que sempre advertia os ouvintes com a seguinte frase: "é tudo verdade, eu tenho provas".

Sempre bem-humorado e de espírito jovem viveu intensamente essa vida terrena.

Deixou a esposa Eugênia e três irmãs (Nair Tomio, Wilma Dalpiaz e Isoldi Maria Sandri) e muitos sobrinhos e afilhados. Conta a sobrinha e afilhada Glória, que Valdir tinha tantos afilhados de batismo e crisma que era mais fácil saber quem não era afilhado dele do que quem era.

Valdir era um ascurrense com muito orgulho e nas eleições realizadas em 03 de outubro de 1962, foi eleito vereador por Indaial juntamente com Leandro Possamai e um filho de Ascurra, mas eleito por Indaial, José Sandri Sobrinho.

Valdir, já na primeira sessão da Câmara de Indaial, em 1º de março de 1963, apresentou seu primeiro projeto, justamente reivindicando a criação do Município de Ascurra. Após longos debates, em 2 de março, em sessão extraordinária o mesmo foi aprovado.

O ato criando o município de Ascurra foi sancionado pelo Presidente da Câmara Municipal de Indaial, José Sandri Sobrinho, em 04 de março de 1963, ou seja, dois dias após o Vereador Aldo Valdir Pintarelli apresentar o projeto.

Valdir sempre foi um batalhador, perdeu o pai em fato trágico, mas seguiu em frente liderando a mesma e mais tarde transformou suas terras em loteamentos que trouxeram desenvolvimento ao município de Ascurra.

Certa vez, 2007, em entrevista ao Doutor Andrè Bazzanella, Valdir se manifestou sobre o que achava do mundo em que vivia.

"O mundo está é muito sisudo. O problema é que o mundo está muito desigual. Tem alguns muito ricos e muita gente que é miserável demais. Também nossas leis e nossos políticos que muitas vezes ficam fazendo as leis para se auto beneficiarem. A corrupção anda tomando conta. Também, o povo não consegue acompanhar a tecnologia. Ela existe, mas não está acessível para a maioria das pessoas. Noventa por cento (90%) não acompanha as transformações do mundo e a tecnologia. Então ficam frustrados. Os antigos, nos idos de 1950, previam que nos anos 2000 o mundo morreria de fome. Mas fomos surpresos: por que há superprodução de tudo, graças à automação, à tecnologia. Mas não temos distribuição de tudo isso."

Valdir partiu as vésperas de completar 85 anos, mas deixou suas marcas para a eternidade.

Justa Homenagem (OPINIÃO)

No Brasil só se costuma falar bem de um homem público por ocasião de sua morte. Antes, o silêncio ou a crítica. Não está certo. Na verdade, nem todos que passam por cargos, eletivos ou não, merecem mesmo elogios, por vezes nem críticas pela mediocridade com que atravessam os anos usufruindo o poder. São pessoas que simplesmente passam sem deixar nada em termos de legado para a sociedade.

Mas muitos saem da vida política e são esquecidos, ou até lembrados sem os créditos necessários. Aqui em Apiúna, Ascurra, Rodeio - em toda a nossa região, muitos saíram da vida pública íntegros sem serem afetados pela praga da prepotência e da arte de se dar bem. Lá se foram Victor Petters e tantos outros de Apiúna. Lá se foram tantos da nossa vizinha Ascurra, e todos sem a devida homenagem em vida e a maioria nem depois da partida.

Ascurra perdeu no dia 09, sexta-feira, o homem que conquistou a emancipação daquele município. Algumas homenagens superficiais foram lhe direcionadas antes da morte, mas nada digno de sua importância política.

Agora, esperamos que a população ascurrense mostre seu valor dando-lhe a verdadeira importância e seu lugar na história daquele município.

Os vereadores Eviatore Luigi Quiarelli, Mário Guse e Aristides Dolzan que tanto lutam na atual legislatura, por dias melhores para Ascurra, deviam liderar os demais para a justa homenagem.

Os Rotaryanos também precisam ser protagonistas nessa empreitada. Que tal um busto para eternizar não só nos livros, mas sim na paisagem da cidade.

ALDO VALDIR PINTARELLI, esse foi um ícone da política ascurrense e merece nosso respeito.

"O impiedoso tempo não para e a cada novo dia renascemos, nos renovamos na busca da eternidade e lá no final descobrimos que por onde passamos marcas ficaram para sempre."




EDIÇÕES IMPRESSAS



COLUNISTAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 100 78 fundos sala 02, Loteamento Dona Helena Morro
Apiúna - SC - Brasil

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro