EDUCAÇÃO

Construindo relações, respeitando as diferenças

Projeto 'Leituras de Empatia' é realizado no Colégio São Paulo

Assessoria Colégio São Paulo

As professoras Bruna Daniel Sevenhani, de Matemática e a professora Cleide Tambosi Pisetta, de Língua Inglesa e Portuguesa do Colégio São Paulo de Ascurra/SC, juntamente do grupo da AJS - Articulação da Juventude Salesiana, desenvolveram o projeto "Leituras de Empatia". O grupo, com cerca de 30 alunos, representa todas as turmas do Ensino Fundamental II até o Ensino Médio e é assessorado semanalmente para que os jovens sejam os verdadeiros protagonistas do crescimento educativo, social e espiritual. 

Para o projeto, foi escolhida uma proposta que trata da aceitação de quem se é, das relações interpessoais, convívio coletivo, bullying, preconceitos, entre outros, a fim de desenvolver uma consciência sobre a importância de dialogar e construir relações respeitando as diferenças e a cada encontro era dada a sugestão de leituras de acordo com o tema e que estivesse na Árvore de Livros, uma plataforma digital de leitura utilizada pelos alunos do CSP.

Em diversos encontros, foram trabalhados títulos de leitura seguidos de atividades, reflexões e dinâmicas, estimulando a percepção sobre si mesmo, suas qualidades, interação, dificuldades de convivência, bem como atitudes desagradáveis e que denigrem a imagem e a autoestima do próximo. Houve até uma encenação no pátio, durante o recreio, feita pelos alunos, no qual simularam uma situação de bullying em frente aos outros alunos da escola. A atividade serviu para "medir" o nível de empatia entre as pessoas.

O aluno Guilherme, do 1º ano do Ensino Médio e participante do projeto conseguiu traduzir em palavras os resultados das ações realizadas: "nos últimos encontros da AJS, através do projeto Leituras de Empatia da Árvore de Livros, pudemos questionar a nós mesmos sobre como nos vemos, como vemos o outro e como os outros nos veem, tudo isso de uma forma divertida e diferente.

Como aluno, [...] me fez pensar em como muitas vezes criamos uma imagem errônea de determinada pessoa, julgamos, rotulamos, sem saber o que a pessoa passa em seu dia a dia, quais são suas dificuldades, apontamos os erros e esquecemos das qualidades e do fato de que somos humanos. Da mesma forma, isso acontece comigo, por exemplo. Muitas pessoas que hoje são meus amigos e amigas já vieram me falar de que pensavam algo totalmente diferente de minha personalidade antes de se aproximarem de mim".


MAIS IMAGENS




EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro