Rosama.png
VIVER E CONVIVER

Transforme 'fracasso'' em oportunidade

Não nos ensinaram a lidar com o fracasso de maneira produtiva

Nós todos nos preocupamos com a possibilidade de as coisas darem errado. Pode-se também pensar que as coisas vão dar certo mais sempre com um medo de autoengano, pois, não vamos sempre ser bem-sucedidos em todos os projetos e objetivos em nossa vida.   

Vamos cometer erros, acertos, talvez fracassemos em algo, mais pensar positivo não é o ideal. Pode-se preocupar-se menos aprendendo a lidar com os erros e ir bem longe do fracasso, focando o próximo estágio.

Na nossa educação e formação na maioria das vezes não nos ensinaram a lidar com o fracasso de maneira produtiva. Geralmente sentimos culpa, desânimo e nos colocamos como improdutivos. A meta sempre é ter sucesso, não sabemos lidar com o fracasso, perda ou erros.

No dia a dia convivemos com "fracassos". Exemplo, jogamos na loteria e fizemos uma fezinha, e perdemos a jogada; nos esportes convivemos com os fracassos e sucessos, projetamos algo e dá errado, e outros inúmeros fatos. Podemos aprender a lidar com os fracassos e diminuir a preocupação.

A seguir, algumas frases para dizer para si mesmo que ajuda a diminuir o choque negativo do fracasso, e transformar em novas oportunidades, desenvolvendo uma estratégia para lidar com o fracasso.

1.''Nao fracassei, meu comportamento é que falhou'': vamos pensar numa prova e tirou uma nota baixa, seria justo dizer que você como pessoa, fracassou? Ou o desempenho naquela prova foi falho? A diferença é que é pensado que falhou como pessoa e, assim, rotula-se como fracasso e generaliza para todos as situações.

2. "Posso aprender a partir do fracasso": observe uma criança montando um quebra-cabeças. Ela tenta encaixar peças nos lugares errados. Ela está falhando ou aprendendo?

3. "Posso ser desafiado pelo fracasso". Outra forma é ver como desafio. Numa análise com dois grupos de crianças: a) um que desistia quando falhava (crianças desamparadas) e outro que persistia ou melhorava (crianças persistentes). As crianças que desistiam diziam: "não sou boa o bastante", "não sou boa em nada". As crianças persistentes: ''Olha só, isto é o máximo, adoro um desafio". Elas pensam no fracasso naquilo que possam aprender.

Algumas vezes nossos fracassos nos deixam envergonhados e não queremos olhá-los outra vez. Uma sugestão seria, ao rever os fracassos, você se perguntaria que valiosas lições podem ser aprendidas.

Bibliografia: Leahy, Robert L. Como lidar com as preocupações. Porto Alegre: Artmed, 2007






EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro