Rosama.png
VIVER & CONVIVER

Reflexões sobre a DOR

20 Outubro 2018 13:05:00

Não apenas a dor física, mas a dor psíquica, são vivências sombrias, carregadas de sentidos.

A dor é uma vivência que marca a vida das pessoas. Não apenas a dor física, mas a dor psíquica, são vivências sombrias, carregadas de sentidos. A pessoa com dor chega a entrar num processo de depressão. Mas lembrando a dor primeiro começa na dimensão emocional. Com exceção de dores por acidente ou traumas, decorrente de pancadas e outras situações.  

Enquanto sintoma físico, a dor é um mecanismo de proteção do corpo. E tem sempre algo a nos mostrar e alertar sinalizando alguma disfunção, emocional e física.

Do ponto de vista da psique ou mental, a dor pode ser a expressão característica de algo que é, também, vivenciado e sentida no corpo. A área da saúde chama de doenças Psicossomáticas, isto é, doença somática como resultado da impossibilidade de elaboração psíquica dos conflitos no plano emocional em função de uma fragilidade de estruturação emocional ou mental.

Nos consultórios psicológicos ou médicos a convivência com pacientes com dor é constante. Dores físicas, psíquicas, dores que não tem explicação. Em razão disso, se procura compreender a dor e analisar seus simbolismos, significados para o paciente. Transformar essas dores em palavras e expressões emocionais que são mal elaboradas durante períodos curtos ou longos de nossas vidas, internalizações de traumas, mágoas, sofrimentos. Muitas dessas emoções são guardadas ou '' esquecidas", numa "caixa preta" de nosso inconsciente, mas estão latentes no nosso corpo e emoções. O corpo fala se prestarmos atenção em seus sintomas e vem em forma de dores, doenças, depressão, angústias e mal-estar.

Nos principais debates em Congressos o enfoque cultural e social da dor tanto individual ou em grupo, tiveram o maior direcionamento. A experiência da subjetividade da pessoa navega na sua alma nas suas vivências e interpretações, gerando num fato psicossomático.

Quando a dor emocional e o conflito decorrentes de uma fonte de estresse excedem a capacidade de a pessoa dar conta do processo emocional, em vez de serem vistos e ressignificados eles, ás vezes, são depositados e manifestados em dor e doenças psicossomáticas. Levando a uma defesa do EU - ego. Nesse ponto irá ter dificuldades de elaborações mais saudáveis. E a dor ou adoecimento será uma tentativa de restabelecer um equilíbrio. Assim o sintoma e a dor representa a saída para um conflito psíquico.

Marty, P. (1993). A psicossomática do adulto. Porto Alegre: Artes Médicas. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-73142006000200004




EDIÇÕES IMPRESSAS



COLUNISTAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 100 78 fundos sala 02, Loteamento Dona Helena Morro
Apiúna - SC - Brasil

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro