Rosama.png
VIVER E CONVIVER

O Oposto Positivo

Apesar de todos os esforços, os rolos compressores das responsabilidades do dia a dia vão minando nossa saúde mental

Estamos passando por delicadas situações em vários setores da nossa existência e talvez até ficamos confusos com a atual situação mundial, de crises em vários setores. Desde crises pessoais, na saúde, na política, na economia. A percepção de que o que governa também perdeu o rumo, sob pressões de todos os lados.  

Apesar de todos os esforços, os rolos compressores das responsabilidades do dia a dia vão minando nossa saúde mental e entramos em pânico. Está acontecendo demissões em massa, as indústrias, o comércio e outras encerrando as atividades. E ainda o medo de contaminação. As coisas parecem estar às cegas, tateando para tentar achar a saída.

Antes da pandemia, a lógica era de mais pessoas consumindo mais coisas, sendo a força motriz das economias em todo o mundo. Milhões de investimentos em marketing, mídia e todos os meios possíveis para aguçar o consumismo. Hoje, o oposto positivo, a ciência, a mídia estão a serviço de informações para informar os cuidados para não se contaminar, postagens sobre os sintomas da virose e outros necessários para não piorar uma situação que já está caótica.

Na atual situação o que podemos observar e que um compromete o outro em vez de um complementar o outro. Ficamos a mercê da mídia e de notícias manipuláveis. Não sabemos ao certo quais interesses tem por trás de cada fato.

O que podemos refletir sobre o que são as determinações tomadas agora que vão direcionar a maneira que nós, um país, instituição e a própria humanidade sobreviverá às decadências sociais, econômicas e de saúde. Para Parkin (2014), não existe fórmula simples nem soluções de prateleiras, apenas um número crescente de pessoas que praticam a divergência (oposto) positiva - fazer a coisa certa onde quer que estejam, apesar dos obstáculos.

Fazer a coisa certa a partir de nós. A crise em todos os setores nos traz para a realidade o que não foi efetivo em nossa vida, que estava enfraquecido ou deixamos de organizar. O olhar sobre isso sem vitimizações nos fortalece enquanto humanos. O poder da renovação e criatividade.

Bibliografia - PARKIN, SARA. O divergente positivo - liderança em sustentabilidade em um mundo perverso. São Paulo - Petrópolis, 2014.






EDIÇÕES IMPRESSAS



1218217951.png

 

Cabeço Negro
Rua 20, número 60 - sala 01 = Loteamento Helena B. Morro
Apiúna  - SC - Brasil
89135-000

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Cabeço Negro